INSEKTO

INSEKTO a partir d’A Metamorfose de Franz Kafka é um espetáculo de Teatro Físico, Visual e não-verbal, com recurso a Acrobacia Aérea e Música Original.

Este conto fantástico (um homem acorda transformado num inseto) atravessa os séculos e as fronteiras para ser uma obra intemporal da aldeia humana. É a vida de “um qualquer”, a quotidiana e esquecida. “Insekto”, no dicionário de esperanto também se traduz por “pessoa insignificante”. O homem normal, escravo da sua própria vida, da sua condição social, da sua família, vê-se de repente suprimido numa monstruosidade incompreendida. Poderá haver solidão maior do que esta?

Apesar d’ A Metamorfose comemorar o seu centenário em 2015, Kafka consegue ainda ser atual. A nossa época é o tempo da solidão, somos contemporâneos da depressão massificada, como doença comum. Irrefletida vítima do desejo de adequação e de amor, o homem trai a sua própria natureza, resultando exatamente no oposto: inadequação ao trabalho, à família e ao mundo. O isolamento, a melancolia e a incompreensão consequentes determinam um processo gradual de animalização…

COMPANHIA: TEATRO DO MAR

Encenação, Dramaturgia e Direção de Movimento: Julieta Aurora Santos

Intérpretes: Ana Andrade, Carlos Campos, Sandra Santos e Sérgio Vieira

Cenografia: Bruno Capucho

Consultoria Técnica: Eng. José Batalha e Duarte Machado Construção

Construction: Luís Santos e Rui Teixeira

Banda Sonora: Charlie Mancini

Figurinos: Sandra Santos

Colaboração (Figurinos): Adriana Freitas

Direção Técnica, Desenho e Operação de Luz: Luís João Mosteias

Operação de Som: Luís Santos

Produção Executiva e Promoção: Natasha Bulha Costa

Administração e Apoio à Produção: Sónia Custódio

Fotografia: Alípio Padilha